Conheça Rayssa Costa, a esgrimista brasileira que vai estrear em Jogos Olímpicos na Rio 2016

A atleta vai competir na arma espada, no dia 06 de agosto

A esgrimista Rayssa Costa vai representar o Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Estreante na competição, a brasiliense vai disputar na arma espada.

Rayssa iniciou sua carreira aos 14 anos, por meio do Programa “Compete Brasília”, da Secretaria dos Esportes. Mas antes do mergulho na esgrima, a jovem transitou entre diversos esportes, do caratê a natação, além de 10 anos de dedicação ao balé clássico.

Aos 17 anos, época em que foi selecionada para a equipe brasileira de esgrima, Rayssa já passou a conviver com a responsabilidade implicada por seguir uma carreira no esporte. “Passei a ser cobrada como profissional, seguir horários e ter uma disciplina”, relembra a esgrimista em entrevista ao Guia dos Esportes.

Conciliar a rotina de uma profissional com a fase de transição da adolescência para a vida adulta tornou-se um desafio complicado, mas que Rayssa aprendeu a lidar. “Por conta das competições, já perdi e ainda perco muitos eventos de família, datas importantes, provas de colégio e faculdade. Estudei e ainda estudo sozinha, acompanho a matéria no avião, por exemplo, e estudo no intervalo entre os treinos”, revela. Moro longe de casa há cinco anos, então tenho pouco convívio com família e amigos, mas sempre quando posso os encontro. Na faculdade, sempre estou correndo atrás, pedindo auxílio aos colegas de sala. Mas consigo conciliar tudo e prefiro assim”, completa.

conquistas
Conquistas da esgrimista brasileira

Não ter medo de sair da zona de conforto, no entanto, abriu muitas portas para a atleta, que aos 20 anos encarou sozinha um novo continente para se aperfeiçoar na modalidade. “Na época, estava cogitando parar de treinar, não havia muitos praticantes em Brasília, então estava treinando sozinha, basicamente, e um pouco desestimulada. Ainda assim, era a primeira do ranking nacional, isso em 2011”, conta Rayssa. “Estava classificada para o Pré-Olímpico de Londres. Mas o presidente da CBE (Confederação Brasileira de Esgrima) me ofereceu a oportunidade de treinar fora, seis meses antes de participar do qualificatório para os Jogos. Então, para não perder a chance, escolhi a Itália por várias razões. A princípio era para ficar seis meses, mas permaneci lá por dois anos. Gostei muito do país, da cultura, e de como trabalham a esgrima.”

No Brasil desde 2014, Rayssa hoje mora em São Paulo e treina no Esporte Clube Pinheiros. A vida de atleta requer abdicação e disciplina, além de força, raça e fé, características também de um ex-tenista e maior ídolo de Rayssa: Gustavo Kuerten, tricampeão de Roland Garros. “Para mim, é o maior atleta brasileiro de todos os tempos. Li seu livro e passei a entender o que o atleta passa. Todas as dificuldades e empecilhos que passamos para conseguir patrocínio e um bom local de treinamento. Eu me inspiro muito nele e já vi suas palestras. É uma pessoa muito bacana, simpático, atencioso e querendo ajudar. Meu maior ídolo.”

É com o espírito do ‘manezinho da Ilha’, Guga, que Rayssa Costa participa de sua primeira Olimpíada. Tranquila e consciente de que foram 11 anos de trabalho para chegar a esse momento, a esgrimista estreia neste sábado (06) na disputa de espada individual feminina da Rio 2016. “Agora que estou aqui, quero aproveitar cada momento com tranquilidade e foco. Ter plena consciência do que vim fazer aqui. É o momento de colher os frutos. Controlo bem a ansiedade e o nervosismo. Quero ficar serena para fazer um excelente trabalho”, diz Rayssa.

As provas das armas serão divididas de 6 a 13 de agosto. A espada individual feminina será no dia 6, dia seguinte a Cerimônia de abertura. Das 9h às 14h15, Rayssa vai disputar o quadro de 64, de 32 e, as esgrimistas que avançarem seguem para as oitavas e quartas de final. Às semifinais, disputas do bronze e ouro serão das 16h às 18h30.

Rayssa também vai competir na espada por equipes, dia 11 de agosto. Pela manhã, das 9h às 15h30 serão as oitavas, quartas e semifinais. No final da tarde, das 17h às 19h50 as atletas classificadas vão disputar o bronze e o ouro.

Com a aproximação da competição, a atleta sabe que os momentos que antecedem a prova são de pura concentração e mentalização. “Procuro ficar calma e colocar toda a minha energia positiva no corpo. Toda a parte física já foi trabalhada e neste momento tento me manter calma para aplicar tudo o que treinei. Isso interfere muito na esgrima. Nos segundos antes de entrar na pista, trabalho muito essa questão mental”, finaliza Rayssa.

Os confrontos da modalidade serão disputados na Arena Carioca 3, no Parque Olímpico da Barra.

Foto: Divulgação

Compartilhe:
Fernanda de Lima

Fernanda de Lima

Editora Guia dos Esportes