Tratamento utilizado por campeões olímpicos é destinado também a fins estéticos no Brasil

Campeões olímpicos utilizam tratamentos de apoio a técnicas de massagem; método está disponível em clínicas brasileiras

As imagens das manchas roxas no corpo do multimedalhista Michael Phelps correram o mundo durante a realização dos Jogos Olímpicos do Rio. As marcas despertaram a curiosidade da mídia e do público que acompanha o nadador americano. O responsável por elas atende pelo nome de ventosaterapia, um método já utilizado também em clínicas de tratamento brasileiras.

“O tratamento pode ser utilizado como um auxílio para tratamentos com fins terapêuticos e é um grande aliado a outras técnicas de massagem. Quando a circulação é ativada através da ventosa, o aumento de sangue favorece a nutrição de músculos, alivia as tensões, dores musculares e articulares”, explica o cirurgião plástico Dr. Eduardo Porto Leite, diretor da clínica Beauté, na Barra da Tijuca, RJ.

Além de ser uma grande aliada dos atletas de alto rendimento, a ventosaterapia atende ao público geral também com fins estéticos.

“Em alguns casos, o uso da técnica também é realizado com objetivos estéticos, como, por exemplo, o tratamento da ventosaterapia para celulites e estrias e gordura localizada”, reforça o médico.

Como o foco terapêutico da ventosa é controlar a corrente sanguínea, Eduardo Porto destaca os seguintes benefícios:

– Desintoxicar o organismo , reduzindo o ácido lático após exercício físico intenso;

– Lombalgias;

– Tratamentos para dores musculares.

“No Rio de Janeiro, na clínica Beauté, oferecemos a terapia em nosso centro de estética”, completa o médico que explica que hoje algumas técnicas e recursos de atletas do mundo inteiro já estão disponíveis no Brasil.

Foto: Reprodução / Facebook

Compartilhe:
Redação

Redação

Guia dos Esportes - Conhecendo o mundo através do esporte